segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Crítica: "Manchester À Beira-Mar"

Manchester À Beira-Mar
(Manchester By The Sea)
Drama
Data de Estreia no Brasil: 19/01/2017
Direção: Kenneth Lonergan

Distribuição: Sony Pictures


“Manchester à Beira-Mar” é um filme que pareceu grudar em mim ao longo dos dias que se passaram após a sessão. Me senti intrigado, deprimido e completamente contemplado pela abordagem do filme, que joga sobre o espectador um carga pesadíssima ao tratar de temas como culpa, luto e a nossa memória – tão funcional e necessária, mas por vezes tão dolorosa. Este drama não é de forma alguma um filme fácil de assistir, mas também não parece tentar ser, visto que seu peso dramático parece espancar o nosso emocional. Desde o tom melancólico adotado de forma notória já no início da narrativa - e que apenas se estende ao longo do filme -, a estrutura de roteiro de Kenneth Lonergan (que também assina a direção) parece querer sufocar o espectador... E consegue!

domingo, 15 de janeiro de 2017

Crítica: "Morris From America"

Morris From America
Data de Estreia no Brasil: sem previsão
Direção: Chad Hartigan
Distribuição: A24


Filmes sobre o amadurecimento e auto-descoberta de crianças e adolescentes são uma constante no cinema norte-americano, vide grandes clássicos como “Conta Comigo” (1986) e “E.T.” (1982), e o mais recente e ótimo “Melhores Amigos” (2016). Seguindo nesta toada “Morris From America” tem como personagem principal um jovem nova iorquino de 13 anos que se muda para uma pequena cidade da Alemanha com seu pai. Além do recente falecimento de sua mãe, Morris lida com outras delicadas questões, como as constantes viagens de seu pai e a dificuldade de tornar compatíveis seus hábitos e gostos oriundos da cultura negra norte-americana com os costumes e a vivência dos jovens de Heidelberg. Complexificando uma situação já complicada, Morris se apaixona por Mikaela, uma garota local 2 anos mais velha que ele e com uma vivência completamente diferente da sua.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Crítica: "Assassin's Creed"

Assassin's Creed
Ação/ Ficção Científica
Direção: Justin Kurzel
Data de Estreia no Brasil: 12/01/2017
Distribuição: Fox Film do Brasil


Desde que foi anunciada sua produção, “Assassin’s Creed” fez os cinéfilos do mundo se agitarem em medo e esperança, afinal, todos já estamos cansados de sofrer (e sim o termo é sofrimento neste caso) com todas as obras cinematográficas baseadas em vídeo games que bombardearam o cinema ao longo dos anos. Este era o momento em que muitos diziam que filmes com tais premissas estavam a beira da morte e caso “Assassin’ Creed” não funcionasse já estaria na hora de abandonar o barco...
E temo que as minhas notícias não são nem um pouco boas...

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Crítica: "La La Land - Cantando Estações"

La La Land - Cantando Estações
(La La Land)
Musical/Romance/Comédia
Data de Estreia no Brasil: 12/01/2017
Direção: Damien Chazelle
Distribuidora: Paris Filmes


         Mia e Sebastian (Emma Stone e Ryan Gosling) são o resumo do motivo pelo qual este “La La Land” funciona tão bem: ela é uma aspirante a atriz que se mudou para Hollywood em busca do sucesso, ele é um músico fanático por Jazz que sonha em abrir seu próprio clube do gênero (o que faz com que um musical seja o palco perfeito para a suas histórias, já que se mostra a junção musicista de um com o sonho cinematográfico de outro), juntos dividem sonhos e receios quanto ao sucesso almejado, o que poderia fatalmente ser desenvolvido de forma clichê e pouco cuidadosa. Mas basta você assistir aos primeiros minutos de projeção para saber que este não é um musical genérico, na verdade, o plano sequencia inicial do longa não só é uma realização magistral em termos visuais, como ainda funciona como uma dica perfeita dos caminhos que o filme pretende traçar.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Crítica: "Elle"

Elle
Suspense/Drama
Data de Estreia no Brasil: 17/11/2016
Direção: Paul Verhoeven
Distribuidora: Sony Pictures


         O fim de uma cena de estupro... É assim que “Elle” decide começar sua trama de suspense, com um ato vil de violência se encerrando assim que o espectador acabou de se sentar para acompanhar a projeção. Contando com uma protagonista com autos graus de sociopatia e que parece a todo momento travar duelos verbais com todos a sua volta, o novo longa de Verhoeven é um suspense que se equilibra no estudo de personagem, já que ao ser violentada Michelle (Isabelle Huppert) decide não recorrer a polícia e retomar sua rotina imediatamente, enquanto o seu agressor parece retornar para fazer terror psicológico com sua vítima... É fácil perceber que o longa não é fácil de ser assistido.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Crítica: "The Beatles: Eight Days a Week - The Touring Days"

The Beatles: Eight Days a Week - The Touring Days
Documentário
Data de Estreia no Brasil: Não prevista
Direção: Ron Howard
Distribuição: Imagine Entertainment


Em minha crítica a “Inferno” apontei a preguiça alarmante com a qual Ron Howard parecia dirigir aquela... "coisa", já que era impossível notar qualquer sinal de um mínimo engajamento do diretor em envolver o espectador na estória do filme. Aparentemente, Howard estava guardando sua energia para dirigir com inteligência este documentário “The Beatles: Eight Days a Week – The Touring Days” (a partir de agora, somente “Eight Days a Week”). Relatando os anos de turnê da banda, o diretor consegue juntar as principais histórias do quarteto sem soar prolixo, estabelecendo uma narrativa bem estruturada na qual a entidade “The Beatles” como banda é privilegiada em detrimento de retratar detalhadamente a personalidade de cada indivíduo.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Crítica: "Amor & Amizade"

Amor & Amizade
(Love & Friendship)
Comédia/Drama
Data de Estreia no Brasil: 11/08/2016
Direção: Whit Stillman
Distribuidora: California Filmes



         Acompanhar as tramas da ardilosa Lady Susan Vernon (Kaete Backinsale) neste “Amor & amizade” não só é um passatempo divertido e extremamente dinâmico, como também representa uma ótima oportunidade de ver uma bela adaptação de uma personagem de Jane Austen para as telas do cinema. Assim, a história se desenrola no século XVIII com a tal protagonista tentando se desvencilhar das fofocas acerca de seus casos amorosos, enquanto procura encontrar um bom marido para a sua filha Frederica (Morfydd Clarke), ao passo em que a viúva Vernon parece estar a todo o momento tentando controlar todos a sua volta para que ela se mantenha relevante na sociedade de sua época.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Crítica: "Um Cadáver para Sobreviver"

Um Cadáver para Sobreviver
(Swiss Army Man)
Comédia/Drama/Fantasia
Data de Estreia no Brasil: 22/12/2016
Direção: Daniels
Distribuição: Netflix


“Um Cadáver para Sobreviver” é uma mistura de “O Enigma de Kaspar Hauser” com “Náufrago”, desenvolvidos com um senso de humor peculiar (pra dizer o mínimo) e revigorante em sua estranha originalidade. E se essa premissa soa interessante, saiba também que o filme estabelece alegorias de auto aceitação e fragilidade emocional das relações sociais contemporâneas a partir dos elementos mais primitivos da nossa natureza humana: um peido e uma ereção...

sábado, 24 de dezembro de 2016

Não Viu? Eu Recomendo! - "Era uma Vez no Oeste"

Era uma Vez no Oeste
(C'era una Volta il West)
Direção: Sergio Leone
Disponibilidade: Online/ Download/ Netflix

Por: Obi-Wan



         Quem acompanha o H35mm há algum tempo sabe que somos grandes admiradores de Sergio Leone. O diretor italiano figurou na nossa lista de melhores diretores de todos os tempos por seus grandes clássicos do gênero Western, principalmente a trilogia do dólar e esta obra-prima de 1968, "Era uma Vez no Oeste". Sem contar com a participação de Clint Eastwood no papel do pistoleiro silencioso, Leone escala o igualmente icônico Charles Bronson como "Harmonica", um misterioso viajante que chega a uma cidade em Utah, na mais avançada fronteira do Oeste americano. As intenções de Harmonica permanecem obscuras até o final do filme, permitindo que o roteiro explore uma série de outros personagens interessantes além desta clássica figura comum a quase todos os westerns.

Crítica: "O Nascimento de Uma Nação"

O Nascimento de Uma Nação
(The Birth of a Nation)
Drama

Data de Estreia no Brasil: 10/10/2016
Direção: Nate Parker
Distribuidora: Fox Filmes

Para qualquer cineasta, realizar a proposta deste “O Nascimento de uma Nação” seria uma tarefa ambiciosa, dada todas as nuances que o projeto requer em sua construção. Já que este é o trabalho de estréia na direção de alguém, constatamos que o projeto ganha contornos quase  que megalomaníacos. A parte interessante é que o jovem Nate Parker se sai moderadamente bem em seu projeto inicial, sabendo realçar temas instigantes e abordando momentos dramáticos com sensibilidade, porém, este é um trabalho inconsistente também, se transformando numa versão menos impactante e envolvente de “Coração Valente”.